Menu
Banner

Ex-alunos se reencontram após 40 anos para fazer mutirão no colégio estadual em que estudaram em Goiânia

Um grupo de ex-alunos se reencontrou após 40 anos, para fazer um mutirão no Colégio Estadual Olavo Bilac, no sábado (25), em Goiânia. A turma estudou na instituição em 1977, e, graças à iniciativa da aposentada Patrícia Mendonça, voltou para fazer a limpeza do local, ajudar na pintura de paredes e melhorar a aparência da escola.

Patrícia conta que a ideia surgiu quando ela precisou ir até a escola buscar um documento. Ela afirma que, em meio a saudade da época em que estudou no local, surgiu o desejo de contribuir para que o espaço, desgastado pelo tempo, se tornasse um ambiente melhor para quem estuda atualmente. “Procurei duas amigas, Valéria e Maria Helena, para nós irmos atrás dos outros colegas”, contou.

O colégio fica no Setor Aeroviário, em Goiânia, e recebeu o mutirão na manhã de sábado. Foi feita a limpeza dos espaços, roçagem dos gramados dos jardins e canteiros, poda de galhos e na pintura das salas de aula. Diante da iniciativa do grupo, a diretora da instituição, Ana Catarina de Araújo, conta que ficou emocionada.

“Eles chegam e falam assim ‘eu sou da escola e vim aqui retribuir o que o colégio fez por mim’, isso nos impactou muito, nos emocionou, porque é algo inédito”, comemorou a diretora.

O grupo estudou no colégio na primeira década de sua fundação. Audrey conta que, apesar do tempo ter passado depressa, se lembra com carinho do rosto de cada um da sua época de escola, o que gera saudades. “A carinha de cada um faz a gente retornar àquele tempo gostoso”, disse.

O colégio

 

O Colégio Estadual Olavo Bilac foi criado no dia 6 de fevereiro de 1970, por meio do decreto de lei º 119. Atualmente, 877 alunos estudam na instituição, nos turnos matutino, vespertino e noturno. São estudantes da segunda fase do ensino fundamental, além do ensino médio. Mais de 60 funcionários, entre professores e servidores administrativos, trabalham na unidade.

A mãe de um dos adolescentes que estudam atualmente no colégio, a vendedora Atiane Cândida, soube da iniciativa dos ex-alunos e resolveu ajudar, e providenciou o material para a pintura das salas de aula. “A gente está trabalhando para a comunidade também, eu acho que é importante a gente passar isso para os filhos da gente”, afirmou.

NOTICIA RETIRADA DO SITE "G1"

Publicado em: 26/11/2017

© 2017 Copyright - Todos os direitos reservados