Menu
Banner

Alunos deixam de ir para escolas por falta de transporte em distritos de Ponta Grossa

Estudantes dos distritos de Itaiacoca e de Guaragi, na zona rural de Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná, estão deixando de ir à escola por falta de transporte escolar.

Eles dependem de ônibus da prefeitura. A administração pública alega que problemas na licitação impedem que o serviço seja fornecido e que 10 localidades dos dois distritos estão sem transporte escolar.

"A gente fica preocupada, nervosa porque quer o bem dos filhos. Só quero o transporte para o meu filho, para a educação dele. Porque, no nosso lugar, já somos abandonados pela prefeitura mesmo", diz a mãe Janete Andrade Pinto.

A indignação da Noemi dos Santos é pelo neto, Juliano dos Santos, que, há dias, está com o material arrumado.

O adolescente tem a chance de estudar mais que a avó, que cursou até a quarta série, mas, sem ter como chegar à escola, o sentimento dele é o de frustração. "Não dá nada certo para se não for para a escola", afirma Juliano.

"Isso não é justo. Todo mundo precisa estudar, a gente tem que estudar", reclama a mãe Valéria dos Santos.

Em Itaiacoca, uma escola estadual e uma municipal funcionam no mesmo terreno. São cerca de 145 alunos de oito localidades estudam no local - alguns percorrem mais de 25 quilômetros.

Na manhã desta terça-feira (20), funcionários informaram que um terço dos matriculados está faltando às aulas.

Os pais Verialdo e Evanira da Luz estão tentando dar um jeito. É a primeira vez do filho deles na escola. Nesses primeiros dias do ano letivo, eles estão se revezando com o vizinho pra levar as crianças de carro.

 

"A gente já explicou que ele iria com o ônibus, que ia ter a monitora, que iam cuidar bem dele no ônibus. Agora, a gente chegou e soube que não ia ter o transporte. Ficamos decepcionados porque é um direito que não está sendo respeitado", conta Evanira.

Quem faz ensino médio ou faculdade na cidade também está sem ônibus. A sobrinha do Pedro da Luz, por exemplo, está dormindo na casa de parentes em Ponta Grossa.

Quem não tem como dar um jeito na situação, continua na espera. O que deixa os moradores mais indignados é que não é a primeira vez que esse problema ocorre no início do ano letivo. "Já faz três anos que que é assim", revela o pai Sebastião Silvestre Meira.

 

O que a prefeitura diz

 

Em nota, a prefeitura explicou que a licitação que previa a contratação do transporte para 11 linhas dos distritos de Ponta Grossa foi impugnada, duas vezes, por uma das empresas participantes do processo.

Em uma dessas linhas, o transporte de professores e alunos está sendo feito com um carro da prefeitura.

 

Agora, a um novo pregão está marcado para 5 de março. Se, dessa vez, não houver impugnações, o transporte deve ser retomado até o fim de março. A administração pública informou, ainda, que os alunos não serão prejudicados, porque o conteúdo será reposto.

NOTICIA RETIRADA DO SITE "G1"

Publicado em: 20/02/2018

© 2018 Copyright - Todos os direitos reservados